sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Último post do ano! E viva 2011!!!!

Oiiii, queridos! Pois é, 2010 chegou ao fim! Tanta coisa aconteceu nesse ano... E uma delas foi o nascimento desse blog, que é algo que eu curto demais, porque através dele posso fazer uma das coisas de que mais gosto (que é escrever), conhecer e conversar com gente linda e fofa, adicionando assim, mais meiguice aos meus dias!
Então, quero desejar a todos que visitam esse blog um Feliz 2011! Que nesse ano vai começar todos nós tenhamos mais saúde, sejamos mais felizes e possamos realizar muito mais sonhos!

Aproveitando, para encerrar o ano de um jeito bem "princesístico", também quero recomendar um mangá muito fofo que comecei a ler de uns dias pra cá: Kilala Princess! É um shoujo (gênero mais direcionado a meninas) que conta a história de Kilala (ou Kirara), uma colegial alegre e um tanto desajeitada que viaja pelos mundos das Princesas da Disney (ai, que inveja eu tenho dela, viu!!!! rs), em busca de 6 pedras específicas, cada uma representando uma das princesas. Tudo isso para que ela possa se tornar a sétima princesa, e com isso, salvar a terra mágica de seu amado Rei, que guarda um certo segredo... Mas isso eu não vou contar o que é, vou deixar que vocês mesmos descubram! hehehe =P E o mangá pode ser lido (em inglês) aqui. Depois me contem o que acharam da história! =D

Mais uma vez, Feliz Ano Novo a todos! Que em 2011 a gente só acumule coisas boas! Que tenhamos sucesso em nossos sonhos e objetivos, e que todos os dias desse ano contenham muitos sorrisos e risadas!

Beijos sabor rabanada (porque essa é a minha comida favorita de Ano-Novo!)

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Takarazuka - Parte 1: Introdução Histórica

Oiiii, gente! Hoje vou falar sobre uma das minhas mais recentes paixões: o teatro musical Takarazuka (Takarazuka Revue)! Poucas são as coisas que me despertam fascínio, mas quando vi o primeiro vídeo de Takarazuka, devo confessar que foi amor à primeira vista! Foi uma sensação muito forte, porque desde esse primeiro vídeo eu pensei "Meu deus, que coisa maravilhosa!" e soube que precisaria e iria querer assistir cada vez mais! Em alguns posts tentarei explicar da melhor maneira possível sobre o Teatro,aí quem sabe vocês entendam o porquê dessa minha admiração que não tem mais fim! =) Espero que através dos posts que farei aqui, possa transmitir pra vocês a mágica que essa arte me inspira!

O Teatro Takarazuka (Takarazuka Revue) foi fundado em 1913 (mas sua primeira atuação foi apenas em abril do ano seguinte), por Ichizo Kobayashi, político japonês e também Presidente da Hankyu Railway, uma companhia ferroviária. Seu elenco é formado apenas por mulheres. Isso faz um contraponto com os Teatros Kabuki e Nô, onde todos os atores são exclusivamente homens.

Takarazuka é o nome de uma cidade japonesa, localizada em Hyougo-ken, na região de Kansai (que fica ao centro-sul), conhecida por suas fontes termais. Ichizo Kobayashi, sendo presidente de uma companhia ferroviária, queria tornar o turismo na cidade ainda mais interessante (aumentando a venda de passagens), já que sua Hankyu possuía justamente uma linha que ligava Takarazuka a Osaka.

Duas vistas do Takarazuka Kagekidan, sendo que na 2ª pode-se ver claramente um pedaço da linha ferroviária Hankyu.

Além do Takarazuka Kagekidan (Grande Teatro Takarazuka), que é o principal, localizado na cidade homônima, há outros 2: Teatro Takarazuka de Tóquio e Teatro de Artes Umeda e Teatro de Drama da Cidade (os dois estão localizados no mesmo complexo).

Kobayashi resolveu inovar, ao criar um teatro formado exclusivamente por mulheres. Isso porque até então, a atividade teatral no Japão era de domínio exclusivamente masculino. A proibição da presença de mulheres nos palcos japoneses devia-se a um decreto de 1629 de Iemitsu, o 3º shogun Tokugawa, em função de escândalos relacionados ao então nascente estilo teatral Kabuki. O Kabuki se baseava em danças folclóricas que eram consideradas sensuais praticadas apenas por mulheres. Apresentações de Kabuki passaram a ser realizadas na capital do shogunato, Edo (atual Tóquio) em 1607 e logo tornaram-se populares. Mas como muitas das dançarinas do Kabuki também eram prostitutas, uma série de escândalos envolvendo atrizes e samurais na capital gerou protestos, e em resposta à indignação popular o shogun, além de banir as mulheres do palco, obrigou o Kabuki a seguir formas de organização semelhantes às do então já tradicional teatro No, encenado exclusivamente por homens.

Desde então passou-se a considerar o palco uma "atividade indigna" para mulheres no Japão, e essa ainda era a mentalidade vigente quando Kobayashi fundou seu grupo teatral (Takarazuka) no início do século XX. Apesar de inspirar-se em estilos musicais ocidentais, como os dos musicais e teatros de revista da Broadway e de Paris, Kobayashi não queria que suas atrizes fossem vistas como meras cantoras de cabaré. Ele queria criar uma forma teatral feminina pela qual o público japonês tivesse respeito e cujas performances pudessem ser vistas por uma plateia familiar, que era o perfil do público que frequentava as onsen (termas) da cidade. Assim, Kobayashi fundou a Takarazuka Ongaku Gakkou (Escola de Música do Takarazuka), que desde então vem selecionando e preparando atrizes para a trupe, sob o seguinte lema: kiyoku, tadashiku, utsukushiku (pureza, correção e beleza).

Para se tornar membro do teatro, uma garota deve passar por um treinamento de dois anos no Takarazuka Ongaku Gakkou. As audições realizam-se uma vez por ano para cerca de 40 ou 50 vagas, que são disputadas por milhares de jovens japonesas, vindas de todos os cantos do Japão, que sonham com a hipótese de se tornar estrelas dentro da Companhia. As aspirantes têm entre 15 e 18 anos de idade. Se passarem nas audições, irão dedicar totalmente os 2 anos seguintes da suas vidas ao estudo das artes de representação, música e dança (eventualmente até ajudando na limpeza e manutenção do teatro, antes de pisar no palco, também). Após este período e sendo aprovadas na Companhia, podem então começar a atuar (tornam-se shinjin, atrizes novatas) e assinam pela Companhia um contrato de sete anos, durante os quais, seguindo uma velha tradição que vem desde a formação do Zuka (apelido carinhoso para o teatro! rs), as jovens atrizes deverão manter-se virgens e castas, não poderão casar, ter relacionamentos amorosos ou vir a ter filhos durante o tempo que estiverem vinculadas à Companhia. É por essa razão que algumas atrizes, mesmo estando no auge da carreira, abandonam o Takarazuka para se casar.

Como dito anteriormente, elas deverão especializar-se em papeis masculinos ou femininos, podendo chegar a tornar-se top stars em uma dessas duas categorias. São necessários 10 anos, em média, para se tornar uma top do Takarazuka. As atrizes que interpretam homens são chamadas de otokoyaku (literalmente "papel de homem"), e as que interpretam mulheres, musumeyaku (literalmente "papel de moça" ou "papel de filha"). Da mesma forma que no Kabuki os atores que interpretam papeis femininos são mais prestigiados, no Takarazuka, as otokoyaku são mais valorizadas por interpretarem papeis masculinos, e costumam fazer mais sucesso que as musumeyaku. Sendo assim, a grande maioria das top stars do Takarazuka é de otokoyaku! A popularidade delas é tão grande que chegam a receber até cartas de amor de fãs apaixonadas!

A companhia é dividida em cinco trupes principais: Hana, Tsuki, Yuki, Hoshi e Sora (Flor, Lua, Neve, Estrela e Céu/Cosmos). Uma sexta trupe, o Senka (Especial), é formada por atrizes mais velhas que não mais fazem parte das trupes principais mas ainda desejam fazer parte do teatro e atuar de tempos em tempos. Hana e Tsuki são as trupes originais, formadas em 1921. A trupe Yuki começou em 1924. A Hoshi começou em 1931, foi desfeita em 1939, e voltou em 1948. A trupe mais nova, Sora, foi formada em 1998.
Cada uma delas possui em média oitenta atrizes, organizadas dentro de uma complexa hierarquia, sendo que há duas top stars para cada trupe: uma otokoyaku e uma musumeyaku. Quase sempre, a otokoyaku é a atriz que recebe o maior destaque, a grande estrela do espetáculo. A terceira, quarta e quinta atrizes mais importantes também são otokoyakus, chamadas respectivamente de de nibante, sanbante e yonbante.

Por enquanto, é só. Espero que tenham gostado, pois este é um post que eu realmente fiz com muito carinho. E aguardem pelos próximos capítulos! hehehe

Beijos sabor chocolate com baunilha!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Meme de 5 Sonhos e 5 Inspirações

Oiii, gente!! A Yumi me indicou para esse meme (um mini-questionário que vai sendo repassado entre blogueiras, como uma corrente), e aqui vão as minhas respostas a ele:

5 Sonhos

1- Conhecer o Japão: acho que muita gente por aqui tem esse sonho, né? No meu caso, ele se justifica não apenas pelo amor que eu tenho à cultura, tradições, língua e moda desse país, mas também tem uma questão religiosa. Isso porque eu sou budista, e na minha religião, é considerada uma grande conquista fazer o Tozan (como é chamada a viagem de peregrinação ao Japão). Então, nesse caso, une-se o útil (e espiritual) ao agradável, né? rs

2- Ter um emprego estável, que pague muito bem e me realize, algo que eu realmente ame fazer.

3- Falar japonês fluentemente:
eu amo a língua japonesa desde bem novinha, como a maioria das coisas desse país! E imagino que poder compreendê-la por completo e me expressar através dela deva ser verdadeiramente lindo! =)

4- Assistir a peças do teatro Takarazuka: sobre o qual falarei em breve aqui no blog - aguardem! =D

5- Obter a autorrealização e a felicidade verdadeira na minha vida.


5 Inspirações

1- Meus pais: Meu é o meu heroi! Um homem inteligente, trabalhador, correto, sábio e também espiritualizado. E minha mãe, que também é inteligente, divertida e é uma super mãe! Outro exemplo que me ensinou coisas que não tem preço, como retidão de caráter!

2- Lolita: bom, delicada eu sempre fui. Mas lolita me fez resgatar uma feminilidade ainda mais intensa, e também o meu lado menininha - esse daí também sempre foi presente, mas andava meio esquecido depois que entrei na faculdade, pois estava tentando ser alguém que eu nunca fui, me forçando a agir de forma precoce em relação à idade que eu tinha, porque eu queria muito ser aceita pelos outros. Queria ser espertalhona pra lidar melhor com as pessoas! Mas depois que eu voltei a lolitar (eu tinha parado há um tempo), percebi que não havia nada de errado em ter modos meigos e infantilizados... Muito pelo contrário: vi que aquilo era a minha verdadeira essência, e estando em paz com ela, seria eu mesma e estaria mais à vontade pra lidar com qualquer pessoa!

3- Disney (especialmente as princesas): eu sempre digo que se as pessoas tivessem tido mais Disney na infância (em vez de terem sido amestradas pra agir como "mini-adultas" - tem pai/mãe que adooora isso...), os adultos de hoje não seriam tão ruins. Isso porque elas teriam visto, até assimilar por completo, exemplos de retidão de caráter, honestidade, de ser boa pessoa, ajudar ao próximo... Sei que os clássicos da Disney tiveram grande influência na formação do meu caráter, pois é bem fácil eu me identificar, até hoje, com os sentimentos de alguma das princesas ou heroínas. Todas elas sonham e vão até o fim acreditando nesses sonhos, até realizá-los! =D E é verdade a velha máxima de que "o bem vence o mal", nunca pensem o contrário, mesmo que esteja difícil de acreditar. O mal pode até ter seu momento de achar que conseguiu, mas pode ter certeza de que cedo ou tarde, o bem o derrubará! É a lei da vida, que a Disney sempre nos mostra! =)

4- Audrey Hepburn: eu não a admiro apenas como ícone de elegância e bem-vestir (claro que eu amo o seu estilo clássico e maravilhosamente chique!), mas também por ter sido um ser humano que fez a diferença na sua época. Através dos atos de caridade que fez e das palavras doces que deixou eternizadas, Audrey entrou para a história como uma pessoa linda por dentro e por fora! Enfim, ela é um amor! ♥

5- Artes: com destaque para o desenho, escrita, música e dança - esse quarteto me faz muito feliz! Todos eles funcionam como combustível para a minha alma, cada um a seu modo. O desenho me faz relaxar e permite que eu transfira para o papel imagens diversas que eu formo na minha imaginação; pela escrita, eu consigo expressar perfeitamente o que sinto, penso e sonho; boa música me leva pra longe, a lugares e momentos lindos; a dança é alegria, que permite que eu leia e interprete uma música que adoro com o meu corpo, como se fosse parte dela!


Quem eu indico?

Ju Lee
Michele
Roberta
Butterfly Hime
Rika
Kakao
Madrepérola
Princesa Liah

Meninas, não é obrigatório, mas acho bem legal seguir a brincadeira! =D E também deixo livre pra quem quiser, mesmo não tendo sido citado aqui, fazê-lo! Através do meme, vamos ver o que todos nós temos em comum, né?

Beijos sabor uva!

sábado, 18 de dezembro de 2010

Meeting de Natal!

Olá, pessoas! Hoje foi o Meeting de Natal do Fórum Lolita! Foi muuuito legal e animado, já que foi bastante gente! =D E também teve direito a um amigo secreto de um jeito que eu nunca havia brincado: os presentes foram colocados em cima da mesa, todos devidamente embrulhados, e cada um continha uma dica sobre ele (ex: "rosa", "classical", "Sanrio", "cute accessories"). As 2 primeiras sorteadas escolhiam presentes da mesa, e a partir da terceira, já se poderia tanto escolher da mesa como "roubar" o de alguém. Nossa, foi muito divertido! rs Na minha vez, eu roubei o de uma menina (olha o Código Penal na prática, hahaha!)! Aí essa pessoa que foi "furtada" pega um outro presente da mesa, pra não ficar sem (acho que era isso, não?). Depois, foi feita uma 2ª rodada de sorteio, e se você quisesse obter o seu de volta ou o de outra pessoa, poderia ser feita uma troca. Kitty, assim que foi sorteada, trocou o dela com o meu (danada!! rs), depois eu peguei de volta dela quando fui sorteada, mas aí a Viiixxxen trocou o dela com o meu, pra vingar a Kitty! =O Mas eu A-DO-RE-I o presente com o qual eu fiquei no final: um colar e um chaveiro personalizados, da Dani (que veio com a Saôri e a Sweet Noir, de Belém do Pará!) - e o legal é que os dois eram em tons de vermelho, então já fui usando o colar, pois combinava com a minha roupa! Aliás, eu batizei esse coordinate de "A Touch of Red":


E é isso aí... Como eu deletei meu Orkut, postarei essas e as outras fotos no Flickr que em breve farei (e será devidamente linkado aqui, é claro!)... Então, aguardem por elas! =)

Beijos sabor framboesa!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Sobre Encontrar Felicidade ao seu Redor

Oi, queridos visitantes desse blog! Esse é um post de reflexão pessoal, sobre umas coisas que eu ando pensando já faz um tempo. Conforme vamos crescendo, as responsabilidades na nossa vida vão aumentando, e com isso, vamos ficando mais preocupados com tudo. Mas convém lembrar que ser maduro e responsável é muito diferente de se tornar uma pessoa encanada! Ser encanado só vai te tornar uma pessoa cada vez menos feliz! Uma pessoa que simplesmente não enxergará as coisas boas e bonitas da vida, e não conseguirá curtir um momento feliz e agradável, porque estará o tempo inteiro condicionado a ficar pensando: "Ah, mas e aquela questão de... como farei? E se sei-lá-o-quê acontecer?". Eu sei disso, porque até esse ano de 2010, havia me tornado uma pessoa do tipo super encanada. Eu podia estar de férias no Rio, num lindo verão, curtindo um incrível momento shoppingterapia, mas a minha mente estava lá: "Puxa, mas e aquela coisa 'y'? Não sei mais o que fazer quanto àquilo! Quando chegar o momento, como farei?". A encanação me impedia de me divertir, de perceber os bons momentos que vivia, e até mesmo de ser mais espontânea com amigos e colegas. Às vezes, em plena mesa de barzinho com eles, eu parava e ficava absorta naquelas questões que me preocupavam. Quando na verdade, eu tinha era que estar conversando e rindo com eles, ora bolas! +_+
Só que em 2010 essa coisa mudou e eu me descontraí, relaxei! E sabem em quem eu me inspirei pra isso? Em mim mesma. Ou melhor, no meu "eu" de 2003, quando estava na oitava série. Parece bobeira, mas tem um fundo de sabedoria naquela postura leve e despreocupada que eu tinha, pois eu era muito feliz, porque não ficava pensando tanto assim nas coisas! Fui até assistir fitas de vídeo daquela época pra ver bem como eu era. E caramba, foi tão bom me reencontrar com aquela menina que estava sempre alegre e sorridente, rindo de qualquer bobagem e levando a vida numa boa! Aquela menininha magricelinha que dizia: "Olhaaa, é o fogo de Suzaku! hahahahahaha" diante das velas no bolo de aniversário de 14 anos. E eu comecei a notar: puxa, a verdade é que eu era mais segura, encarava as dificuldades daquela época com mais leveza e confiança, e fazia graça de qualquer bobagem (até do que não tinha). Tudo isso sempre, sempre rindo muito! Então, me esforcei pra voltar a ter aquela postura, obviamente adaptada aos dias de hoje. Já que naquela época tinha coisa que beirava a irresponsabilidade, mas que dá pra aceitar numa menina de 14 anos (mas não numa de 21)...
E os resultados: foram satisfatórios, eu garanto. Eu me tornei mais tranquila, mais leve e mais feliz! :D Todo mundo deveria experimentar a "desencanação"!

Vamos ser mais felizes, e sem ter medo disso! Vamos, por exemplo, tirar foto com o Papai Noel! XD


Aliás, aqui está o "look do dia" desse domingo, dia 12 (que foi um pouco modificado depois que eu fui pro shopping e comprei uma tiarinha e um outro colar, como deu pra ver na foto do Papai Noel acima! rsrs):
♥ Camisa: City Call (loja baratíssima do Rio, custou R$ 4! XD)
♥ Saia: Virgemaria
♥ Sapatilha: Empório Naka
♥ Bolsa: le café
♥ Pulseiras: minha mãe que fez!
♥ Colar: Le Carrousel


Se você se vir preso no trânsito (situação aparentemente chata), em vez de ficar tenso, curta o que há ao seu redor: de repente, pode haver uma linda decoração como essa! =)

Então, só pra reforçar o que eu disse lá em cima: menos preocupação, que no fim, as coisas são bem menos complicadas do que pensamos e se resolvem por si mesmas! Mas o primordial é:

MAIS FELICIDADE PRA TODOS! ^_^

Beijos sabor torta de limão (e com chantilly extra) !

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Tratado: A Importância dos Lacinhos

Olá, meus queridos! O título desse post foi inspirado na minha prova da Direito Internacional Público, de tanto tratado que eu estudei pra ela! =P
Sendo assim, vamos ao post:
Eles foram quase que onipresentes em nossas infâncias, estavam em toda a parte: nas bonecas, nos ursinhos, nos vestidos e até nas nossas cabeças! Duvido que qualquer uma das meninas aqui nunca tenha tido alguma relação (ui!) com lacinhos.
Mas conforme as meninas vão crescendo e passam a rejeitar tudo que remeta à infância, os lacinhos vão aos poucos sendo esquecidos... "Ah não, isso é coisa de menininha, credo!" - elas repudiam, enquanto tentam caber num microtop transparente... O que eu acho uma grande besteira!!!! Afinal, laços não tem a ver só com infância! Tem a ver, acima de tudo, com ser feminina. Então, vamos cultuar a nossa feminilidade! Sendo assim, uns dias atrás, me deu a louca de querer ter um monte de coisas de lacinho! Aí vão as fotos de algumas delas pra inspirar vocês também:



Aneis


Colares


Colar e pulseiras


Potinho pra guardar algodão da Fancy Goods


Mais um fato: de uns tempos pra cá, comecei a gostar de dourado, como dá pra perceber! Só que a maioria das minhas coisas ainda são bijouterias prateadas... Mas acho que como agora fiquei com mania de dourado, é essa tonalidade que vai mandar! =)


Falando mais em lacinhos: essa daí gosta pouco da coisa! rs Se bem que eu também queria um laço "feito" de cabelo, só que obviamente menor que esse.

Beijos sabor melancia pra vocês!